quinta-feira, 23 de julho de 2015

Para guardar meus cartões

Pasta de caixa de papelão reciclada

Oi gurias! Quero mostrar mais uma de minhas idéias usando materiais reciclados, baratos, fáceis de encontrar e que através da magia do artesanato se transformam em algo novo. Desta vez  com a embalagem de uma encomenda de livros que transformei em pasta para guardar cartões.
Faremos 'de conta' que estamos numa aula comigo, no meu ateliê.


1- Escolha a embalagem e limpe-a (retire o selo do frete e as fitas de empacotamento, alise as rebarbas  das bordas do papelão com a querida e sempre pronta para o trabalho pesado Lixa de Pedicure, que é grandona e resistente) . Coloque sobre a superfície de trabalho.



2- A seguir faça uma pátina com a tinta que estiver a mão, nas cores que se apresentarem primeiro. Aqui no meu ateliê o Sr. Guache Verde e a Dona Tinta Acrílica Preta estão sempre ao meu redor querendo participar!







3- imprima o desenho que escolheu e use a turma dos lápis para colorir. Eu escolhi a bonequinha feita pela Maria Emília para participar  4 º desafio Combo de Cores + carimbo digital Mari Digis ( e ganhei! Fiquei tão feliz! Espie lá clicando no link.)





Essa desenhista vende suas produções no formato de arquivos digitais em sua loja on line  e disponibiliza alguns gratuitamente. Com esses 'carimbos digitais'  teremos as chamadas 'carimbadas'. São as cópias impressas de carimbos ou imagens do computador ( distribuídas entre grupos de amigas na internet). Escolhi a bonequinha no balanço e comecei com as cores mais claras. 




4- Com estilete criei espaços vazados para melhor planejar a silhueta contra o fundo da composição. Mais adiante acrescento a árvore onde as cordas estão amarradas. Se quiser se aprimorar na técnica da pintura com lápis de cor use o ensinamento dos mestres: faça várias camadas leves, sem apertar muito pois a mina colorida, diferente da grafite do lápis preto comum, é um material seco, uma espécie de cera. Se quiser aplicar uma cor sobre outra evite obter aquele aspecto de 'brilhante' logo na primeira cor. Ao contrário, deixe pequenos espaços em branco na superfície. Use um traçado de linhas numa mesma direção numa camada e em outra direção na camada seguinte. Um professor argentino disse a algum tempo: "Paciência é o segredo da pintura com lápis de cor. Quem tem pressa usa PVA e trincha!" E eu digo sempre: "Devagar e curtinho..." 


 5- Depois das cores claras (que são toda a família dos Amarelos, o elétrico Verde Primavera, a Pequena Salmão e sua companheira Rosinha, o inquieto Laranja Claro e  o esperto Verde Berilo, que tem o apelido de Verde-água) comece a escurecer usando as mesmas cores, em tons mais escuros. Ou combine tons diferentes e vá modelando as partes do corpo passando de traços retos para traços arredondados. 





6 -Desta etapa em diante observe a direção correta do traçado para otimizar volumes e sombras. Dê especial atenção aos fios e mechas dos cabelos que podem conter todas as cores mencionadas até agora. Como estou desenhando uma loirinha, não usei a paleta de cores escura. Apenas na última camada, após fazer os ajustes de contornos e brilhos com as canetas finas pretas francesas ou asiáticas  e a famosa Maga Branca ( com seus feitiços de destaques nas pupilas e lábios). Então dê início a camada com o Senhor Azul Marinho. Esta cor é responsável pela sombra. Assim como o crepúsculo, sem ela não haverá noite. Pode acreditar. Por isso, seja obediente e escureça tudo... de azul. Só então poderá usar a paleta escura ( com verdes mais escuros como o Musgo, o jovem Grama e outros escalados nos tons de madeira. Use também os laranja-encarnados, os vermelhos, a Senhorita Carmim, a Velha Violeta e o Vovô Roxo. 

O Sargento Cinza Prateado e todo o Pelotão dos Metalizados vão para a próxima camada, pois eles cobrem demais a superfície e servem só para os acabamentos. Em alguns trabalhos pode-se usar apenas o pacífico Lápis Branco que cobrirá tudo numa camada única e lisa. A foto já mostra a cor que comanda o acabamento (note a textura da calça ). Na tela não temos o mesmo efeito que se obtém com o trabalho em mãos. A imagem parece 'saltar' tridimensionalmente do papel. 
 Mas ainda falta polir. Como? Isso mesmo! Pode apertar agora! Como se estivesse lustrando a peça. Use um chumaço de algodão e uma haste flexível nas áreas delicadas. Isto conservará o matiz das cores e dos gradientes.



7-Com a carimbada pronta organize os elementos da colagem sobre a superfície do suporte - no caso a frente da embalagem de papelão. Use fita banana para destacar as camadas em relevo. Acrescente todos os enfeites,  flores de pano,um imã na contracapa o que quiser. 













Pronto: trabalho finalizado.








Postar um comentário